Fotografo: Divulgação
...
Sem Legenda

A primeira-dama Michelle Bolsonaro realizou um teste com resultado positivo para o novo coronavírus, informou hoje a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência).

A divulgação de que Michelle está com covid-19 ocorre menos de uma semana depois de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter anunciado que se recuperou da doença.

"Michelle Bolsonaro testou positivo para covid-19 nesta quinta-feira, 30.

Ela apresenta bom estado de saúde e seguirá todos os protocolos estabelecidos. A primeira-dama está sendo acompanhada pela equipe médica da Presidência da República", diz a nota.

Além de seu marido Jair Bolsonaro, que anunciou no dia 7 de julho ter contraído a doença, Michelle teve outra pessoa da família atingida pelo coronavírus: a sua avó Maria Aparecida Firmo Ferreira está internada desde 1º de julho com covid-19.

Já no alto escalão do governo, cinco ministros já apresentaram resultado positivo para o novo coronavírus. Ontem, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, confirmou que está infectado.

Em março, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o titular do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, tiveram diagnósticos positivos e se recuperaram da doença.

No início da semana passada, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, também informou que testou positivo para a Covid-19.

Já o ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou há dez dias que estava infectado.

Ele chegou a ficar internado por dois dias antes de receber alta na última segunda-feira.

O Brasil tem 2.556.207 casos oficiais de coronavírus, segundo levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, divulgado às 8h de hoje. O número de mortos no país é de 90.212.

Veículos se unem em prol da informação

 Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa e assim buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Fonte: Do UOL, em São Paulo

Colaboração Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com
Cuiabá e Municípios da Grande Baixada Cuiabana.
E.mail . Jornal.int@gmail.com.br
Site www.brasilintegracao.com.br