Fundado aos 12 de janeiro de 1970; Pelo Jorn Narciso Honório Silveira

Cidadão Repórter

(66)984060008
Cuiabá(MT), Terça-Feira, 19 de Outubro de 2021 - 15:57
13/10/2021 as 15:48 | Por Hiago Marra | 78
Jornalista que jogou cerveja em PMs é servidora de prefeitura em MT
A mulher foi proibida de frequentar bares e deve comparecer aos Alcoólicos Anônimos por seis meses.
Fotografo: Divulgação
Sem Legenda

A jornalista, Nildes de Souza, de 37 anos, que foi presa ao jogar cerveja no rosto de um policial militar na madrugada de terça, em um bar na praça Popular, em Cuiabá, alegou na audiência de custódia ter transtorno bipolar. A servidora da Prefeitura de Bom Jesus do Araguaia (a 850 km de Cuiabá) teve a liberdade provisória concedida pela juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa.

De acordo com a decisão da audiência de custódia, Nildes também é dependente química de álcool. Em 2020, ela chegou a fazer tratamento para transtornos mentais em uma clínica em Chapada dos Guimarães.

Natural de Goiás, a jornalista mora em Bom Jesus do Araguaia e atua na Secretaria Municipal de Administração, no cargo de Diretora de Departamento.

O HNT tentou entrar em contato com a prefeitura, mas as ligações não foram atendidas. Consta ainda na decisão que um dos motivos pelo qual Nildes teve a liberdade provisória concedida é porque a jornalista tem dois filhos menores de 12 anos.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher tem 22 ocorrências policiais em desfavor dela, entre elas estão: preservação de direito, ameaça, lesão corporal, perturbação, atrito verbal, constrangimento ilegal, vias de fato e injúria real.

À Polícia Civil, Nildes afirmou que já foi indiciada pelos crimes de ameaça e homicídio tentado em Nova Xavantina. Porém, o teor da acusação não foi divulgada.

O HNT entrou em contato com Nildes por meio das redes sociais e ligações para sabermos se ela estava em Cuiabá a passeio ou trabalho mas, até o momento, não obtivemos retorno. O espaço segue aberto.

Liberdade provisória

No documento, a magistrada determinou o pagamento de fiança como condição à liberdade provisória. N. S. terá que pagar um salário mínimo dividido em duas parcelas. A indadimplência pode acarretar na suspensão da liberdade. 

A juíza também determinou medidas cautelares como o uso de tornozeleira eletrônica pelo prazo de 90 dias, a proibição de mudança de endereço e recolhimento noturno das 22h às 6h. A mulher também foi proibida de frequentar bares e deve comparecer aos Alcoólicos Anônimos por seis meses.

Desacato

Vídeos que circulam na internet mostram o momento em que a mulher jogou um copo de cerveja contra um policial em um bar, na Praça Popular, em Cuiabá. Em seguida, o policial entrou no estabelecimento para deter a suspeita. Outro policial, que chegou a levar um chute, e um segurança do local também participaram da ação.

Hiago Marra

Colaborou:  Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com
E.mail . Jornal.int@gmail.com.br    
Site www.brasilintegracao.com.br
feccebook  brasilpolicial@gmail.com
Em breve TVbrasilintegracaoWEB




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil