0

Fundado aos 12 de janeiro de 1970; Pelo Jorn Narciso Honório Silveira

Cidadão Repórter

(66)984060008
Cuiabá(MT), Segunda-Feira, 23 de Novembro de 2020 - 18:43
21/10/2020 as 21:00 | Por Mídia News | 52
Membro da Força Nacional é transferido de UTI aérea para o RJ
Renato de Oliveira Souza estava internado em Cuiabá desde a queda de helicóptero
Fotografo: Foto: Tchélo Figueiredo - Secom/MT
Sem Legenda

Um dos integrantes da Força Nacional que foi vítima do acidente aéreo ocorrido no Pantanal, no dia 08 de outubro, foi transferido para o Rio de Janeiro (RJ), na UTI Aérea do Governo do Estado de Mato Grosso.

Renato de Oliveira Souza, que integra a Polícia Civil do Distrito Federal, estava internado em um hospital de Cuiabá desde o dia do acidente e decolou na aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) na manhã desta quarta-feira (21.10), após receber autorização médica.

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), prestou todo apoio necessário para a concretização do transporte aeromédico.

O irmão de Renato, Rogério de Oliveira Souza, estava em Cuiabá há 15 dias e se emocionou ao falar da recuperação do policial civil e também do apoio institucional.

“Ele está confiante, acreditamos que vai recuperar todos os movimentos dele, tem um problema urinário, mas que está sob controle.

Acho que se não fosse esse respaldo do Governo de Mato Grosso, da Força Nacional e dos companheiros que fez aqui, seria muito mais difícil”.

Ainda emocionado, Rogério Souza avalia que em três meses o irmão estará recuperado fisicamente, e frisa que é preciso valorizar os heróis em vida.

“Quando a gente vê uma pessoa querida, é uma situação complicada, então é uma alegria ver que ele está fora de perigo agora, principalmente porque é raro sobreviver a acidentes aéreos.

Felizmente, o Renato conseguiu dar os últimos comandos e o tripulante conseguiu adotar tudo, então na verdade um salvou o outro”.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, frisou que é papel do Governo de Mato Grosso disponibilizar essa estrutura, tanto no momento do acidente quanto no retorno do piloto, para que continue o tratamento perto da família.

“A UTI Aérea é um importante equipamento, que conta com empenho tanto da Segurança quanto da Saúde. Para nós a vida não tem preço, por isso somamos esforços para atender a sociedade cada vez melhor, e dessa vez atendendo o Renato, piloto que prestou importante contribuição no combate às queimadas no Pantanal”.

O médico do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), Otávio Fernandes, que compõe a equipe da UTI Aérea, falou sobre a avaliação que resultou na aprovação do transporte do paciente.

“Ele teve uma fratura na lombar, foi feita a cirurgia necessária, é um paciente estável que está retornando para a cidade natal, onde vai dar continuidade aos cuidados. Tem uma equipe médica já que irá recebe-lo no aeroporto e depois ele segue para casa, já que o atendimento será feito em sistema de home care”.

Sobre o acidente

O helicóptero da Força Nacional caiu no Pantanal, próximo ao Porto Jofre, na tarde do dia 08 de outubro deste ano, com três integrantes.

Além de Renato de Oliveira Souza, estavam no helicóptero o copiloto Luiz Fernando Berberick, da Polícia Civil do Rio de Janeiro (RJ), e o 2° sargento PM Emerson Miranda Martins, da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro.

Todos foram resgatados por um helicóptero da Marinha do Brasil com vida e foram encaminhados até Cuiabá para atendimento médico pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Aérea do Ciopaer.

A aeronave e a tripulação auxiliavam os trabalhos da Operação Pantanal II, que combate as queimadas naquela região, sob orientação do Comitê Integrado Multiagências de Mato Grosso (Ciman-MT).

O envio de aproximadamente 40 integrantes da Força Nacional ocorreu em setembro, após liberação do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em atendimento ao pedido do Governo de Mato Grosso.

O coordenador do Ciopaer, coronel PM Juliano Chiroli, ressaltou que desde o início as equipes da Marinha do Brasil, Corpo de Bombeiros Militar (CBM-MT), Samu e Ciopaer estiveram envolvidas no resgate e apoio aos feridos.

“Até o Rio de Janeiro serão três horas de voo, com toda a segurança necessária e acompanhamento da equipe médica, e no próximo sábado (24.10) está previsto o transporte de outro integrante da Força Nacional também. Já o outro ferido está em melhores condições de saúde e não precisará da UTI Aérea”.

Desde a ativação da UTI Aérea em Mato Grosso, em maio deste ano, até 23 de setembro, já foram realizadas 18 missões, totalizando 53 horas de voo.

As causas do acidente são apuradas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira.

Texto: Mídia News

Cooperador  Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Municípios da Grande Baixada Cuiabana.

E.mail . Jornal.int@gmail.com.br

Site www.brasilintegracao.com.br




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil