Fotografo: Cabo Wddsmayk/PMMT
...
Além de psicólogos e assistentes sociais, estão previstas consultas na especialidade de psiquiatria.

Como parte do projeto de descentralização do atendimento psicológico e social, a Polícia Militar inaugurou nesta terça-feira (24.09), no 3º Batalhão, em Cuiabá, o primeiro consultório em unidade operacional. O espaço passou por obras de reforma e adequação e recebeu mobiliário e decoração que seguem os moldes de consultórios de psicologia. Além de psicólogos e assistentes sociais, estão previstas consultas na especialidade de psiquiatria.
 
Durante a inauguração, o coronel Wankley Rodrigues, do Comando Regional de Cuiabá (1ºCR), destacou a importância de ampliar os serviços preventivos e dar suporte aos policiais que passam por problemas de depressão e outros transtornos.
 
“O policial tem a síndrome de super-homem e é cobrado da mesma maneira”, observou, lembrando que, assim como todos os seres humanos e trabalhadores, os agentes de segurança adoecem e precisam de atendimento.
 
O comandante do 3º Batalhão, tenente-coronel Fernando Augustinho de Oliveira Galindo, destacou que ao investir na assistência ao policial, também se investe na qualidade dos serviços que são prestados nas ruas. Na análise de Fernando, esse é um grande passo à evolução nos cuidados à saúde dos policiais.
 
Coordenador do Serviço de Assistência Social da PMMT, o tenente-coronel Diego Tocantins, lembrou que essa nova unidade faz parte da rede de atendimento aos policiais e do projeto de descentralização dos serviços. Atualmente, a PM tem três psicólogos que atendem em consultórios na Diretoria Saúde, em Cuiabá, e outros dois, na Academia Costa Verde (de oficiais) e Esfap (Escola de Formação de Praças), um em cada.
 
Diego Tocantins também observou que, além dessa assistência direta a PM, por meio da Coordenação de Assistência Social, encaminha policiais para a rede pública e também articula convênios e parcerias com instituições privadas de saúde.    
 
 
O trabalho também ocorre no campo da prevenção. Este ano, por exemplo, a PM já ofereceu cursos e palestras sobre prevenção e identificação de casos de depressão, tendência suicida e outros quadros para cerca de 2 mil policiais na capital e interior.
 
Na última semana deste mês, como parte da campanha ‘Setembro Amarelo’, a PM realizará o 5º CASSBEM (Ciclo de Assistência Social, Saúde e Bem-Estar).
 
 
Durante a inauguração do consultório um policial, sargento S.V.C. (40 anos), apresentou seu testemunho e falou do suporte recebido da PM e o apoio dos colegas no tratamento contra a depressão, alcoolismo e tendência suicida.