Fotografo: Polícia Civil/Divulgação
...
Sem Legenda

Uma vizinha da adolescente acusada de atirar e matar Isabele Guimarães Ramos, 14, revelou a Polícia Civil que encontrou roupas femininas escondidas na sala de sua casa no dia seguinte a morte da menina.

Ela é mãe de um jovem que namorava a irmã gêmea da autora do disparo.

Segundo a TV Centro América, diante da gravidade do caso, a mulher resolveu levar as peças de roupas até a delegacia.

A polícia agora tenta descobrir a quem pertencia e quem escondeu as roupas dentro do imóvel, que fica a poucos metros da mansão onde Isabele Ramos foi morta.

As informações foram citadas pela emissora nesta quarta-feira (29), com base em trechos do depoimento que a vizinha prestou a Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), responsável por conduzir as investigações.

Ao FOLHAMAX, a assessoria da Polícia Civil alegou que as investigações seguem em andamento e devido ao sigilo do caso o conteúdo do inquérito, os laudo, depoimentos e outras provas coletadas ainda não podem ser oficialmente divulgados.  

Isabele foi atingida por um tiro supostamente acidental pela própria amiga no último dia 12 de julho, no condomínio de luxo Alphaville, em Cuiabá.

Em seu depoimento, a autora do disparo afirmou que, ao derrubar a caixa plástica onde estavam as 2 pistolas, acabou se desequilibrando quando tentava recolhê-las uma delas com a mão direita ocorreu o disparo.  A mãe da vítima, Patrícia Ramos, não acredita na tese.

Os peritos indicam que o disparo teria sido feito na vítima numa distância entre 10 e 50 centímetros.

A perícia também encontrou na face de Isabele vestígios de pólvora da pistola.

Foram realizadas Buscas e Apreensões, com autorização judicial, a fim de localizar, apreender e preservar provas do crime.

Foi realizada também perícia com aplicação de luminol para localizar possíveis manchas de sangue no local.

Com esse agente químico (luminol), a perícia pode identificar, inclusive, manchas de sangue que eventualmente tenham sido limpas.  

Estão sendo ouvidas todas as pessoas que estavam no momento bem como outras pessoas que possam contribuir com a investigação.

As oitivas dos adolescentes são realizadas por depoimento especial.

Fonte:  ALLAN MESQUITA/Da Redação/folhamax

Colaboração Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com
Cuiabá e Municípios da Grande Baixada Cuiabana.
E.mail . Jornal.int@gmail.com.br
Site www.brasilintegracao.com.br