Fundado aos 12 de janeiro de 1970; Pelo Jorn Narciso Honório Silveira

Cidadão Repórter

(66)984060008
Cuiabá(MT), Terça-Feira, 16 de Agosto de 2022 - 05:14
05/08/2022 as 19:44 | Por O Documento |
Republicanos oficializa Pivetta como vice de Mauro e vai apoiar reeleição de Wellington Fagundes
Se a sociedade entender que nós somos convenientes, vamos continuar”, discursou Pivetta.
Fotografo: Reprodução Repórter MT
Convenção partidária foi realizada na tarde desta sexta-feira, em Cuiabá

O vice-governador Otaviano Pivetta foi oficializado novamente para a função na chapa de Mauro Mendes (União Brasil) pelo seu partido, o Republicanos, durante convenção partidária, realizada na tarde desta sexta-feira (5), em Cuiabá.  “Estamos juntos há bastante tempo já e vamos pedir à sociedade autorização para continuar mais um período. Se a sociedade entender que nós somos convenientes, vamos continuar”, discursou Pivetta.
 
Para o Senado Federal, a legenda vai apoiar candidatura à reeleição do senador Wellington Fagundes (PL), e tentará indicar o segundo suplente., disse o presidente estadual do partido Adilton Sachetti. “Estamos oficializando a candidatura do vice-governador Pivetta na chapa do governador Mauro Mendes.
 
Para o senado, o partido vai caminhar com Wellington Fagundes. A segunda suplência ainda não está definida e vamos tentar indicar um filiado nosso. Porém, tem mais partidos estão se agregando e também postulam essa vaga. Se não pudermos indicar, vamos acatar o que o grupo decidir e trabalhar juntos”.
 
O PL anunciou coligação com o União Brasil nesta sexta-feira e anunciou o ex-chefe da Casa Civil Mauro Carvalho como primeiro suplente. Para a segunda vaga, Sachetti citou o ex-prefeito de Sorriso Dilceu Rossato  e o médico cardiologista  Carlos Carretoni.
 
Paccola
 
Sobre o vereador por Cuiabá Tenente-coronel Marcos Paccola, que postula uma vaga de deputado estadual, Sachetti disse que o Republicanos está dando a oportunidade de conquistar o mandato e que o eleitor é que vai decidir que ele será eleito ou não. “Partido político não é julgador. Eu não sou a Justiça e é ela que vai julgar se Paccola é culpado ou não. E mais, temos mais um fator julgador, talvez até mais importante que a Justiça, que é o povo”, finalizou.
 
Paccola se tornou réu na Justiça por matar a tiros um agente do sistema socioeducativo em julho, em Cuiabá.
 
Redação
 
Colaborou:  Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com
E.mail . Jornal.int@gmail.com.br    
Site www.brasilintegracao.com.br
feccebook  brasilpolicial@gmail.com
Em breve TVbrasilintegracaoWEB




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil