Fundado aos 12 de janeiro de 1970; Pelo Jorn Narciso Honório Silveira

Cidadão Repórter

(66)984060008
Cuiabá(MT), Quinta-Feira, 06 de Maio de 2021 - 01:22
03/05/2021 as 12:00 | Por Por G1 | 18
Vacina da Pfizer é enviada aos estados para aplicação da 1ª dose; veja como será a distribuição
Nesta primeira etapa, serão enviadas 499.590 doses aos estados. Segundo a pasta, a vacina será destinada para pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas
Fotografo: divulgação
Que vacina é essa? Pfizer Biontech

O Ministério da Saúde começa nesta segunda-feira (3) a distribuição das vacinas contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech.

Nesta primeira fase, estados e o Distrito Federal receberão 499.590 vacinas referentes à primeira dose do imunizante. A vacina é administrada em duas doses.

Segundo a pasta, a vacina será destinada para pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente.

Entretanto, estados e municípios têm autonomia para seguir com estratégias locais.

Intervalo das doses

O ministério recomenda que a vacina seja administrada em um intervalo de 12 semanas (três meses).

Em nota técnica, a pasta informa que o intervalo maior foi aplicado com base em estudos feitos no Reino Unido – o país optou por aumentar o espaçamento no início da campanha de vacinação, por causa da escassez de doses.

"Com base nesses dados o 'Joint Committee on Vaccination and Immunisation' (JCVI), entidade assessora em imunizações do Reino Unido, orientou que o intervalo entre a primeira e a segunda dose desta vacina fosse ampliado para até 12 semanas", diz a nota.

"Esta recomendação considerou que a vacinação do maior número possível de pessoas com a primeira dose traria maiores benefícios do ponto de vista de saúde pública, considerando a necessidade de uma resposta rápida frente a pandemia de Covid-19", continua o ministério.

Já a bula do fabricante diz que o imunizante deve ser aplicado em um "intervalo maior ou igual a 21 dias entre a primeira e a segunda dose".

Em janeiro, Pfizer e BioNTech disseram não haver evidências de que a primeira injeção continuou a funcionar por mais de três semanas.

“Não há dados que demonstrem que a proteção após a primeira dose é mantida após 21 dias”, afirmaram.

Também em janeiro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) se posicionou sobre o intervalo das doses da Pfizer/BioNTech.

Na época, a entidade explicou que países que "vivenciam circunstâncias epidemiológicas excepcionais podem considerar adiar por um curto período a administração da segunda dose". No entanto, a recomendação era de um intervalo de até 42 dias (seis semanas).

O G1 questionou o Ministério da Saúde sobre a recomendação das doses, mas não obteve respostas até a última atualização da reportagem. A Pfizer no Brasil disse que espera um posicionamento da Pfizer Global.

Veja como será a distribuição por estados:

Vacina Pfizer/BioNTech

ESTADO     NÚMERO DE DOSES

Rondônia -------------------------3.510

Acre     -----------------------------1.170

Amazonas -------------------------5.850

Roraima     -------------------------1.170

Pará     ------------------------------14.040

Amapá     ---------------------------1.170

Tocantins     ------------------------3.510

Maranhão--------------------------10.530

Piauí --------------------------------5.850

Ceará-------------------------------17.550

Rio Grande do Norte ------------7.020

Paraíba------------------------------8.190

Pernambuco ---------------------17.550

Alagoas----------------------------7.020

Sergipe----------------------------4.680

Bahia------------------------------26.910

Minas Gerais--------------------50.310

Espírito Santo--------------------10.530

Rio de Janeir---------------------46.800

São Paulo ------------------------135.720

Paraná -----------------------------32.760

Santa Catarina-------------------17.550

Rio Grande do Sul----------------32.760

Mato Grosso do Sul---------------7.020

Mato Grosso------------------------7.020

Goiás---------------------------------17.550

Distrito Federal---------------------5.850
    
TOTAL------------------------------499.590]

Fonte: Ministério da Saúde

Armazenamento

As doses da Pfizer precisam ser armazenadas em caixas com temperaturas entre -25°C e -15°C por, no máximo, 14 dias.

Ao chegarem às salas de vacinação, as doses devem ser mantidas a uma temperatura que varia entre 2°C e 8°C, e precisam ser aplicadas na população em um período de até cinco dias.

Por conta do curto espaço de tempo e das exigências de armazenamento, o Ministério da Saúde recomendou que as vacinas do primeiro lote fossem distribuídas entre as 27 capitais do país, "de forma a evitar prejuízos na vacinação e garantir o esquema vacinal de 12 semanas entre uma dose e outra".

O primeiro lote com um milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech comprado pelo Brasil chegou ao país na quinta. Ao todo, o governo federal tem contrato para 100 milhões de doses.

A pasta recomendou que, se possível, a vacinação ocorra em unidades de saúde que possuam câmaras refrigeradas cadastradas na Anvisa.

Falta de doses da CoronaVac

Ao menos 7 capitais estão sem vacinar com a 2ª dose da CoronaVac:

 *Aracaju

 *Belo Horizonte

 *Belém

 *Campo Grande

 *Porto Alegre

 *Porto Velho

 *Recife

Os problemas nos estoques acontecem após o Ministério da Saúde recomendar que as vacinas guardadas para a 2ª dose fossem usadas na 1ª aplicação.

Na semana passada, municípios de pelo menos 18 estados apresentaram problemas com estoque da CoronaVac e paralisaram a vacinação.

Texto:  Por G1

Colaborou:  Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com
E.mail . Jornal.int@gmail.com.br    
Site www.brasilintegracao.com.br
feccebook  brasilpolicial@gmail.com
Em breve TVbrasilintegracaoWEB




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil